Uber Eats – Com a comida às costas

Quando se aproximava a hora do almoço ou do jantar

não havia outra solução senão cozinhar

mas o dia a dia começou a acelerar

e aos poucos as coisas tiveram que mudar

Primeiro vieram as churrasqueiras.

Cheias de homens nas suas fileiras.

Valentes à espera de levar o jantar

Como se tivessem acabado de o caçar

E aqui paro eu de rimar.

E quem não gostava de frango e costelinhas? Era preciso uma alternativa, tivemos que diversificar. Retiraram-se as mesas aos restaurantes, substituíram-se os pratos pelas embalagens de alumínio e criou-se um novo conceito, os take aways! Bastava ir buscar a refeição já cozinhada, voltar para casa, abrir a embalagem e já está, tudo pronto, rápido e sem trabalho.

Mas apesar da comodidade de não se ter que cozinhar, alguns pormenores ainda chateavam um bocado: ter que vestir, calçar, ir à rua, esperar pela comida, queimar os dedos nas embalagens e, por fim, voltar a casa com o molho da feijoada derramado.

O melhor seria mesmo nem ter que sair de casa, certo? Pois bem, isso já era possível há muitos anos mas praticamente limitado às pizzarias. Até poderíamos variar entre Pizza Hut e Telepizza, mas pizza comíamos quase de certeza!

A Uber Eats traz-nos um passo em frente no “progresso alimentar”, que pode ser um passo em frente rumo ao abismo (dependo do ponto de vista). Então o que é a Uber Eats se é que há alguém que não sabe? É uma App de telemóvel que aglomera os menus de vários restaurantes dando-nos acesso a uma panóplia de comida para entregar em casa (um pouco mais diversificada do que apenas pizza). Os restaurantes recebem a nota de encomenda, os entregadores pegam nas suas motas e põem-se a caminho e nós ficamos confortavelmente à espera que nos batam à porta.

Se só agora começarem a usar, o primeiro passo que aconselho é criar um cartão MB Net de várias compras e definir um valor razoável para um certo tempo. Digamos uns 100€ para um ano e logo se vê quantas semanas durou. É que esta é uma das coisas que mais gosto da Uber Eats, o facto de pôr o dinheiro na App e nem ter que me preocupar se tenho dinheiro trocado em casa para quando a comida chegar. O problema é que, por não vermos o dinheiro a sair da carteira, também não sentimos esse gasto e isso pode ser enganador.

Mas há uma grande falha que não consigo compreender:  Quando começo a fazer a minha escolha num novo tipo de restaurante e, só no fim do pedido, aparece a temível mensagem que diz algo como: “o estabelecimento escolhido não faz entregas na sua área de residência”. Como…? Ora se sabes isso porque não o disseste antes de começar a fazer o meu pedido!? Ou melhor ainda, porque raio me estás a mostrar um restaurante fora do meu raio de acção seu raio de App?!

Em termos de variedade também não podemos dizer que seja já a melhor maravilha do mundo. Além dos fast foods mais conhecidos não há assim tanta variedade. Cuidado com o preço também, algumas das escolhas poderão ficar substancialmente mais caras! Reparei nisso em relação à encomenda num sushi que ficava pelo menos 5€ mais caro do que ir buscar ao restaurante… conclusão, quando queremos sushi sou eu o “entregador de Uber Eats” lá de casa.

No fundo a Uber Eats é mais uma comodidade da vida moderna que apela ao nosso consumismo, ao nosso comodismo e ao facto de cada vez necessitarmos de menos contacto com outras pessoas. Para já ainda temos que gramar com os condutores-entregadores com a sua típica mochila quadrada às costas mas não demorará muito até a mochila vir pendurada num drone ou ter uma hélice acoplada. É para isto que a sociedade caminha… e isso é impecável!

Lá se perderão mais uma série de empregos precários de entregadores, mas pensem positivo, ao menos não terão que suportar as noites à chuva a levar comida aos pançudos preguiçosos que não querem sair de casa por estar mau tempo.

Deixo aqui o meu respeito também aos pobres entregadores da Glovo, serviço que por acaso nunca usei mas que sei que não convém muito a quem vive em zonas com subidas (porque custa mais a pedalar na bicicleta e a comida demora a chegar.)

4/5 entregadores de costas tortas – um passo em frente para quando não há vontade ou tempo para cozinhar mas ainda há espaço para melhorar! (e lá estou eu outra vez a rimar)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s